Publicada segunda edição da Laborare

Novas Reflexões no Mundo do Trabalho

Laborare chega à sua segunda edição semestral, cumprindo a meta estabelecida pelo Instituto Trabalho Digno. Perseveramos na construção de um espaço de diálogo científico multidisciplinar dos campos de conhecimento relacionados ao mundo do trabalho.

Cada uma das pequenas conquistas da revista é comemorada como uma grande vitória porque construída com esforços e recursos dos associados do Instituto (que custearam registros no ISSN, DOI, a edição, hospedagem e atualização do site etc.) e dos colaboradores que fazem a revisão científica dos artigos, participam dos concursos de fotografia, dão o apoio que podem.

Estamos atentos à destruição de direitos trabalhistas e previdenciários, à crescente ameaça aos direitos humanos e às liberdades democráticas, em um país que agora sequer tem um Ministério do Trabalho. Na primeira edição dizíamos que “Outro Mundo do Trabalho é Possível” e de fato é, mas como uma Utopia que precisa ser construída em meio à resistência à onda de destruição.

O papel da Laborare é aglutinar reflexões técnicas e científicas, em especial, nas áreas de Direito do Trabalho, Segurança e Saúde do Trabalhador, Inspeção do Trabalho e Ciências Sociais e Trabalho.

Os quatro artigos trazidos nesta edição revelam a elevada qualidade técnica e científica presente no mundo do trabalho. E a revista traz também as fotografias que foram selecionadas no Concurso Cultural Fotográfico promovido pelo Instituto com o tema “A Inspeção do Trabalho no Brasil: Em Luta pelo Trabalho Digno”. Uma das fotos, de autoria de Mauricio Krepsky, retrata Catadores no lixão de Boa Vista, Roraima, mostrando na capa desta edição a face da desigualdade em nosso país.

Raramente os auditores-fiscais do trabalho (AFT) trazem a público a reflexão técnica sobre seu trabalho, como fazem Paulo Conceição, Valquíria Cavalcanti, Jackson Brandão e Magna Ramos, que analisam a grande operação de fiscalização realizada em postos revendedores de combustíveis da Bahia, visando a prevenção da exposição ocupacional ao benzeno.

O AFT e professor de Direito Luiz Felipe Monsores de Assumpção traz em seu artigo reflexões sobre a Inspeção do Trabalho mais além do papel de vigilância, analisando seu papel na construção do direito do trabalho.

A professora Renata Dutra, a advogada Fernanda Figueredo e a graduanda Loyana Matos ouvem as vozes dos trabalhadores e trabalhadoras contratados de forma terceirizada para o serviço de limpeza em uma Universidade Pública, debatendo a distância entre a ficção jurídica e a realidade vivida.

“O mal continua presente!” ressalta a pesquisadora Soraya Wingester Vasconcelos, Tecnologista da Fundacentro, em relação ao amianto, oficialmente banido, mas presente em todos os cantos do país. E analisa o que é necessário fazer pela vigilância à saúde dos trabalhadores com história de exposição ao mineral.

A revista Laborare segue seu caminho, assim como o Instituto Trabalho Digno que acaba de completar dois anos de existência.

Em um momento da história do país em que governantes e seus asseclas se orgulham em patrocinar a ignorância e a violência, nossa voz segue ao lado dos que clamam por uma sociedade em que o trabalho seja digno, que os direitos humanos sejam respeitados e valores como a Justiça, a Democracia e o Conhecimento sejam preservados e fortalecidos.

Os Editores

Visite a Laborare em: trabalhodigno.org/laborare

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.