Revista Laborare prepara segunda edição

A revista Laborare já começou a receber artigos para sua segunda edição. Seguindo a linha “Outro Mundo do Trabalho é possível”, a revista artigos originais nas áreas relacionadas com a promoção do trabalho digno, especialmente segurança e saúde do trabalhador, direitos trabalhistas, inspeção do trabalho e em ciências sociais e trabalho.

O Conselho Editorial da revista tem a participação de pesquisadores e profissionais atuantes nos campos de conhecimento da publicação em 8 países: África do Sul, Argentina, Brasil, Chile, Estados Unidos da América, França, México e Portugal.

Para enviar os artigos, os autores devem acessar o link http://trabalhodigno.org/laborare/index.php/laborare/about/submissions#onlineSubmissions no qual aparecem as instruções.

Os artigos serão publicados com DOI (Digital object identifier, padrão para identificação de documentos na internet) e já podem ser encontrados no Google Acadêmico, devendo ser encaminhada indexação de acordo com as regras de cada instituição.

Após a publicação do primeiro número, a revista recebeu muitas manifestações elogiosas  quanto aos artigos e a proposta de diálogo científico multidisciplinar em favor do trabalho digno.

Dentre os artigos publicados, o da juíza e professora Valdete Severo destacou a urgência de resistirmos contra o desmanche do Estado Social, em busca da proteção jurídica ao trabalho humano subordinado. No sentido de fortalecer a ação do Estado, os auditores do trabalho Otávio e Marina evidenciaram as microlesões dos direitos dos trabalhadores, prática empresarial voluntária também utilizada contra os consumidores.

Em favor da proteção da segurança dos trabalhadores, o professor Paulo Rogério Oliveira debateu a questão do Ruído enquanto fator de risco ocupacional tratado de forma insuficiente pela legislação. Já o engenheiro Miguel Branchtein analisou um sistema de proteção contra quedas com linha de vida horizontal como proteção de periferia na Construção Civil no Brasil.

 Os professores e pesquisadores da Saúde Coletiva Universidade Federal da Bahia Adryanna Cardim, Paulo Pena, Maria do Carmo Freitas e Mônica Angelim destacaram a atualidade do assédio moral institucionalizado ao estudar a situação dos operadores de teleatendimento com LER/DORT.

Já os auditores e médicos Mário Parreiras e Francisco Teixeira trouxeram à luz um caso de mesotelioma de pleura em mecânico-soldador, abordando os danos da exposição ao amianto.

E neste tempo de precarização travestido de modernidade, Yuri Leite, Emerson Sá e Albefredo Souza Júnior analisaram a natureza do vínculo entre os motoristas e a empresa Uber.

A portas da Laborare estão abertas aos pesquisadores do mundo do trabalho, numa perspectiva de que é possível construir uma sociedade em que o trabalho seja digno.